Ivan Moré fala sobre sua migração da TV para o mundo digital

Há quem diga que o ponto máximo que algum comunicador pode atingir é estar na TV aberta. Ivan Moré chegou à condição de apresentador do noticiário esportivo mais assistido do País, o Globo Esporte de São Paulo. Mas, para ele, esse não era o topo.

Há 3 anos, ele decidiu sair da TV e apostar no mundo online. “A partir do momento que você se comunica pelo digital, você tem o retorno naquele exato momento”, diz Moré. Essa interação direta e em tempo real o atraía. “Mas eu precisava me adaptar para essa linguagem mais direta, foi aí que comecei a romper com a TV aberta”, conta o apresentador, keynote do IX Conference 2020.

Podcasts

O início dele no mundo digital foi via podcasts, mídia que cresce imensamente, principalmente entre os mais jovens. Seu ingresso nesse mundo foi por meio do “Qual é, Moré?”, um programa de contos produzidos a partir das experiências que ele viveu no mundo jornalístico. “Eu tenho a oportunidade de contar sobre as copas do mundo das quais participei, as entrevistas que fiz com Michael Phelps antes e depois dos recordes, ou sobre as minhas partidas de tênis com Nadal e Federer. Tem todo esse legado da TV”, explica.

Outro podcast que ele produz é o Desobediência Produtiva, que fala sobre inovação. “Eu queria entender como esse mundo estava funcionando, e passei a entrevistar pessoas que estão fazendo a diferença. Eu aprendo e democratizo por meio do podcast”, detalha.

A importância da comunicação  

Moré também tem uma empresa de comunicação corporativa na qual ele se dedica ao projeto de melhorar a transmissão de conhecimento de pessoas que têm o que dizer. “Comunicação é o segredo de todas as pessoas bem-sucedidas. Todos que alcançam um lugar de destaque conseguem transmitir seu conhecimento de maneira eficiente”, diz.

O apresentador diz que o processo de desenvolvimento da habilidade comunicativa é acessível a todos e não acredita na ideia de dom, algo inato a algumas pessoas. Ele menciona uma pesquisa realizada no Reino Unido, em 2015, que diz que as pessoas têm mais medo de falar em público do que de morrer. Isso porque o medo de falar em público envolve julgamento de tudo que aquela pessoa trabalhou para ser.

“O medo do julgamento é um dos grandes violões. Toda a trajetória da pessoa é colocada à prova quando ela fala em público. A partir do momento que você tira de cena a sua figura, você tira da frente o medo de julgamento que tanto atrapalha na transferência do conhecimento”, explica.

Moré diz ainda que o líder, seja ele um empresário ou empreendedor em começo de carreira, precisa desenvolver a habilidade de levar, de maneira eficiente, a informação do ponto A ao ponto B. Essa habilidade, inclusive, não tem benefícios só no campo profissional. “Do ponto de vista social, a habilidade comunicacional ajuda a fazer amigos e a resolver problemas familiares. Para melhorar a comunicação é preciso se apropriar dos próprios erros. Essa é uma habilidade que deveria ser ensinada dentro das escolas”, conclui o apresentador.

Compartilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email